Centro de Arte Popular – Cemig realiza a exposição Crônicas de Noemisa – 50 anos de cerâmica


Centro de Arte Popular – Cemig realiza a exposição Crônicas de Noemisa – 50 anos de cerâmica
Peças ficam disponíveis para visitação do público até 24 de setembro

O Centro de Arte Popular – Cemig inaugura no dia 3 de agosto a mostra Crônicas de Noemisa – 50 anos de cerâmica, uma homenagem a esta artista singular do Vale do Jequitinhonha, que dedicou toda sua vida ao ofício da cerâmica, nunca arredando o pé do seu cantinho em Ribeirão da Capivara, Caraí, Minas Gerais. A exposição segue em cartaz até o dia 24 de setembro, na Sala de Exposições Temporárias do CAP, espaço integrante do Circuito Liberdade. A entrada é gratuita.

A mostra tem a curadoria de Tadeu Bandeira e apresenta uma seleção de cem obras executadas nos últimos quarenta anos, pertencentes a instituições públicas e a coleções particulares que sempre distinguiram nessa ceramista o dom de esculpir com maestria.

Desde cedo, a partir dos ensinamentos da mãe, Noemisa passou a modelar suas peças através da tabatinga e do toá, com muita destreza, sobriedade e equilíbrio estético, sempre narrando temas do cotidiano, os costumes da vida rural, tais como cenas de casamento, festas populares, costureiras, matança do boi, o ladrão de galinhas, as aulas de Mobral.

Ao falar da artista, o curador ressalta que “sua arte tem poesia, delicadeza, pureza, feminilidade e ao mesmo tempo magia, já que vez ou outras fábulas são narradas. A exposição testemunha os 50 anos ininterruptos de vida dedicada exclusivamente ao ofício da cerâmica, sendo uma homenagem do Governo de Minas Gerais à singela figura de Noemisa, uma das mais exímias e originais ceramistas brasileiras”.

A artista já participou de importantes mostras como Brésil, Arts Populaires, no Grand Palais, em Paris, e a Mostra do Redescobrimento, promovida pela Fundação Bienal de São Paulo no ano 2000, além de estar representada no acervo das mais importantes instituições culturais brasileiras voltadas para a arte popular: Museu Afro - Brasil (SP), Memorial de América Latina (SP) no Pavilhão da Criatividade Darcy Ribeiro, Pavilhão das Culturas Brasileiras (SP), Museu de Folclore Edison Carneiro (RJ), Museu Casa do Pontal (RJ) e Centro de Arte Popular - Cemig (MG).


Para Angelo Oswaldo, Secretário de Estado de Cultura de Minas Gerais, Noemisa é um dos nomes emblemáticos da cerâmica brasileira. “A originalidade de sua arte irradia a luz de que se impregnam as coisas do Jequitinhonha, esse território mágico que é das Minas e dos Gerais, remetido ao universo do mito, com seu maravilhoso habitado por personagens nascidas do barro adâmico do vale”.

SOBRE O CENTRO DE ARTE POPULAR – CEMIG
Espaço museológico inaugurado em 2012, destinado a divulgar a riqueza e diversidade da cultura popular mineira. O seu acervo conduz o visitante ao imaginário de diferentes artistas, narrando histórias e crenças de um povo que traz nas mãos um sincretismo cultural próprio. A instituição, vinculada à Superintendências de Museus e Artes Visuais, da Secretaria de Estado de Cultura de Minas Gerais, integra o Circuito Liberdade. Com 800 peças, seu acervo é organizado por materiais, temas e cronologia, podendo o visitante conferir esculturas em madeira e cerâmica, telas, desenhos e teares. Mídias, som e imagem tornam as exposições ainda mais dinâmicas e interativas, ajudando na contextualização dos temas, dando uma dimensão mais ampla e profunda do histórico cultural de cada região.

SERVIÇO
Exposição: CRÔNICAS DE NOEMISA – 50 ANOS DE CERÂMICA
Abertura para convidados: 03 de agosto, às 19 horas
Período de visitação: 04 de agosto a 24 de setembro de 2017
Local: Centro de Arte Popular – Cemig
Endereço: Rua Gonçalves Dias, 1608 – Lourdes
Horário: 3ª, 4ª e 6ª - de 10 às 19h | 5ª - de 12h às 21h | Sábados e domingos – de 12h às 19h
Assessoria de Imprensa: Angelina Gonçalves (31) 3269-1109 | 9 8876-8987

Secretaria de Estado de Cultura de Minas Gerais
Assessoria de Comunicação
(31) 9 9619 7901

INDICAÇÃO CLÁUDIO BENTO

Comentários