Trajes Poéticos - OVILEJO

estilo poético em que os versos que servem de desfecho a cada estrofe, irão, no fim, compor uma linha inteira.

***

os poemas publicados aqui participaram do concurso Trajes Poéticos realizado pelo Clube de Poetas do Litoral - salvo os poemas dos autores cepelistas que foram os julgadores do concurso.


PARTICIPE - CONCURSO POÉTICO

e tenha seu poema publicado na antologia Trajes Poéticos na faixa

envie para cplitoral@gmail.com

ENVIE UM OVILEJO

Atenção: O POEMA TEM QUE TER NO MÁXIMO 15 VERSOS  - TEMA LIVRE

****

Eternamente
  
Quem à porta espreita
a chegada do leiteiro dia a dia?

MARIA

Quem aguarda o seu homem
toda tarde na esquina?

CRISTINA
  
Quem numa eterna aflição
labuta arduamente noite e dia?

DA ANUNCIAÇÃO

Uma dentre tantas,
que se entrega com carinho
à família com devoção.

MARIA CRISTINA DA ANUNCIAÇÃO

Clara Sznifer - cepelista
********************************************

TU

Reinventaste a narrativa,
começando pelo fim,

JOAQUIM

Retiraste as máscaras
da decadente burguesia,

MARIA

Eternizaste mistérios
num olhar dissimulado,

MACHADO

Através de um cachorro,
mostraste o quão somos vis,

DE ASSIS

Dissecaste os homens. Puseste os pingos nos is.
Por isso, até hoje, a boa prosa tem nome:

JOAQUIM MARIA MACHADO DE ASSIS.

Edweine Loureiro
******************************************

Espera

O relógio tocou sereno
Mas a vida batia,
DESESPERADA .
Lutei, contra a porta da sala
Sem saber se
 ERA HORA        
Nessa angustia, nessa demora
Vi a noite cair, sem você chegar
Olhei na janela
 DE ESPERANÇAS.
Nenhuma carta, nenhuma lembrança,
DESESPERADA. ERA HORA DE ESPERANÇAS.



Thais Pereira
****************************************

ESQUECIDA NÍSIA 
Quem é tão esquecida,
Embora a escrita frise-a?
NÍSIA
Quem, rompendo os limites,
Fez feminina festa?
FLORESTA
Quem deu para as mulheres
Conquistas de primeira?
BRASILEIRA
Quem, como antiga fusta,
correu por seus direitos?
AUGUSTA
Uma que entre poucas
defendeu suas causas,
de maneira bem justa.
NÍSIA FLORESTA BRASILEIRA AUGUSTA

Natan de Alencar
***********************************


Ninho de Felicidade

Não fique neste malquerendo!
Sofrendo!
Pois só a igualdade
Traz felicidade!
Vê sua meta almejada
Ser realizada!
Ao lado da pessoa amada
Mostre por ela carinho,
Construam junto o ninho,
Vivendo a felicidade e realizada.

Aurineide Alencar
***************************************************

"BUFES"

Ao namorar nos braços da imaginação
– faces, lábios, queixo, pontas das orelhas –,
 "bufes" abrasam, espalham pelo corpo coloridas centelhas,

mocinha...

De olhos verdes (acastanhados), o som mudo do seu sorriso
é acorde de alegria no piano que acorda o dia com boa

 aura...

A mesma que a acompanha, onde a mão da paz apanha
o fruto da serenidade que brota nos pés dessa maturidade

bonita...

Entre cantatas e gestos monossilábicos,
tecla "bufes" no afã de outro significado: Smack!,
o nosso segredo mais bem guardado, que grita
com fervor entre as paredes desse assanhado quarto-monitor.

Aiaiai, Mocinha da Aura Bonita!

  
GERALDO TROMBIN
************************************************************


BRASIL

Como vivem os políticos?
Cumprem com sua obrigação?

CORRUPÇÃO

E o que faz o povo diante disso?
Do poder de governar não os tira?

MENTIRA

E como são as leis que os regem?
O que existe que os atiça?

INJUSTIÇA

Como pode viver o povo
Num país onde lhe falta muito
E o que tem como fortuna:

É CORRUPÇÃO, MENTIRA e INJUSTIÇA?

Sergio Santos

***********************************************************

CURIOSA

Porque foste ao sótão
Ver o que lá havia?
SOFIA
Procuraste por todos os cantos
O que foi que encontraste, sua escondida?
PERDIDA
Foste demasiado curiosa
Ao subires lá cima, sua cabeça de algodão
 NO SÓTÃO
Para veres as cartas de amor
D’uma época, já esquecida
APARECIDA
Tudo  foi em vão, sua metida
Espero que tenhas aprendido a lição
SOFIA PERDIDA,NO SÓTÃO APARECIDA

Ilda Pinto Almeida
Agosto, 20/2013
*****************************************

Jardim sereno


Há um lugar bem sereno
entre flores e aromas sem fim?

O jardim

De onde as marés em bailado
onde banhistas caem na gandaia?

            da praia

Uma cidade querida
Porto, ninho, berço de encantos?

            Santos

Recanto de paz e de abrigos
Fonte de amores, belos recantos
Que nos enlaçam entre amigos:

O jardim da praia, Santos.

Vieira Vivo - cepelista
********************************************************

ARTISTA

 Quem modela com alma a vida
que ousa, sem pensar no risco?
          - Francisco

Quem é esse mágico escultor
que fez no mundo um pandemônio?
          - Antônio

A arte é mister desse gênio,
por isso Deus o abençoa.
          - Lisboa

As mãos feridas, já sangrando,
dão calor à pedra tão fria,
dão-lhe forma linda, perfeita.
O amor à arte o contagia:
nada há que o desacorçoa.
         - Antonio Francisco Lisboa

Deise Domingues Giannini - cepelista
********************************************

Quem, de viagem em viagem,
tão puro atingiu o céu?
   Manuel
Quem foi esse grande homem
com coração poeteiro?
   Carneiro
Quem, mesmo debilitado,
sua vida inteira ousa?
    De Sousa
Quem mesclou ousadia e lirismo
na poesia brasileira?
   Bandeira
Trazia no sorriso um teclado
No corpo a dor traiçoeira
Vinga-se dela em Pasárgada
Manuel Carneiro de Sousa Bandeira

Ludimar Gomes Molina - cepelista
**********************************************

O navegante

Vai navegar por rios e mares
ao redor do mundo.
          Raimundo.
Segue sem rumo por mares desconhecidos
do oriente ao ocidente.
         Vicente.
Mergulha nas profundezas nos abismos
disfarçado de peixe colorido.
        Givanildo
Não deixe passar a oportunidade
em gravar seu nome para posteridade
por quem quer que seja levado a esse imenso
mundo desconhecido.
Raimundo Vicente Givanildo.

Olímpio Coelho de Araújo - cepelista
**********************************************

Som do sertão


De quem é esse som de viola
que toca pelo sertão?

            João

E envia pelas campinas
os acordes com emoção?

            Sebastião

Qual a moça fagueira e bonita
que tem uma saia de chita?

            Rita

Uma vida sentida em feliz união.
Morena, bonita,
cheia de paixão, com

João Sebastião Rita Damião

Thereza Ramalho Figueiredo - cepelista
***********************************************


LIBERDADE
     Essa ave iluminada
     Não vive na alienação
     Fernão
    
     Ela quer a liberdade
     De criar sem atropelo
     Tem no peito a faculdade
     Faz às outras seu apêlo
     Capelo
     Renegada, no exílio
     Sem forças, lá no apogeu
     Despencando sem auxílio
     Ouve seu Poderoso Eu:
    "_ Tens que conviver e amar
     Votarás para a ilhota!"
     Gaivota
     Fernão Capelo Gaivota
     Edite Rocha Capelo-cepelista   

Comentários

Cris Dakinis disse…
Parabéns, Ed!!!
Muito boa a homenagem mais que merecida a Machado - e eu sei o quanto vc o admira -, aliás, muitos de nós o admiramos. Admirável poema :)
edweinels disse…
Este comentário foi removido pelo autor.
edweinels disse…
Obrigado, amiga Cris. Verdade: como tantos brasileiros, sou realmente um grande fa do imortal Machado de Assis. Estou muito feliz de haver feito esta homenagem a um autor a quem tanto admiro. Beijos poeticos, amiga. Ed