Pular para o conteúdo principal

Trajes Poéticos - Epicédio

Poema onde o poeta relata a vida de uma pessoa morta.

Veja os poemas.
poemas dos cepelistas



Um amigo professor

Vivias tão bem assim
nesse modo de fazer
crianças tudo saber.
Dizias que o boletim
era um orgulho e um prazer
com notas de alto valor.
Nos lábios, sempre um sorriso
era a marca registrada,
tua maneira de ser.
A todos sempre dizias
que na vida o tudo é nada
se não se pode aprender.
A vida foi dedicada
à bondade e ao saber,
e uma afirmação concreta:
é que além de professor,
tinhas em ti tanto amor,
pois também eras poeta.

Deise Domingues Giannini 

(Dedicado ao Prof. Oswaldo Névola Filho, amigo-irmão que se despediu desta vida em 15.09.2003)
*****************************************************


Epitáfio do oleiro


Quando a negrura da morte
cerrou-se sobre estes ombros
o suor de muitos fardos
já o tinha sepultado

A vida inteira carregou canseira nos ombros
Os sonhos tornaram-se um peso
que a treva agora alivia

E este corpo cansado
leva, agora, somente o suor
que sempre moldou o barro
que em vida carregava


Vieira Vivo
*******************************


Um anúncio colocado na entrada da biblioteca.
Um convite cultural:
Sexta-feira, Café Poético. 
Apresentando a dramatização: “Uma lágrima na sala de visita”.
Adentro o local.  Começa a apresentação.
De repente o local todo se “ilumina”.
Ela se levanta de mansinho e começa a declamar.
O encantamento daquela figura se espalha pelo ar.
Sua poesia é mágica.
Todos se extasiam ao ouvi-la.
Ao término da apresentação faço questão de abraçá-la.
Corpo franzino já marcado pelos muitos anos vividos.
Conversamos um pouco. Despeço-me ainda encantada
Próximo Café Poético. Lá estou, na primeira fila.
O início de uma amizade. Uma grande amizade.
Amizade verdadeira; fraterna, eterna.
Muitos encontros culturais e nós, sempre juntas.
Apresentações em escolas, eventos, reuniões.
Cada vez mais unidos nossos corações.
Acompanhei suas dores e seus sofrimentos.
Sua paciência e sabedoria ao lidar com tudo.
Seu espírito jamais sisudo e sim, cada vez mais iluminado.
E é assim que o céu ficará para sempre, com sua presença.
Elza Batalha se foi. Elza Batalha morreu.
Mas a batalha vitoriosa de Elza continuará mais viva do que nunca.


Ludimar Gomes Molina
*************************************


Mãe

Você foi:
O alicerce de uma vida
A estrutura da infância,
A janela da adolescência.
O produto de uma maturidade plena.

Apagou-se tão prematuramente
E permanece numa intensa impressão,


 Iluminando meu caminhar.

Clara Sznifer
**************************

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Trajes Poéticos - RIMA EMPARELHADA

rimas que ocorrem seguidamente em pares.

*********

os poemas publicados aqui participaram do concurso Trajes Poéticos realizado pelo Clube de Poetas do Litoral - salvo os poemas dos autores cepelistas que foram os julgadores dos poemas.              

SAFRA VELHA DE CLÁUDIA BRINO recebe indicação do International Poetry News

É com alegria e surpresa que acabo de receber de Giovani Campisi a notícia de que o livro Safra Velha de Cláudia Brino (Costelas Felinas) é um dos livros indicados para concorrer ao Prêmio Nobel de Literatura 2018.

Indicado pelo jornal International Poetry News entre 25 títulos de autores internacionais encaminhados ao Comitê Organizador do Prêmio Nobel de Literatura - 2018
A indicação foi feita pela Direzione Editoriale / Edizioni Universum

clique na imagem e veja a IPN  INDICAÇÃO NO - INTERNATIONAL POETRY NEWS


Este livro não é vendido em livrarias e se movimenta à margem da grande mídia. Adquirindo a versão impressa você receberá dedicatória especial tendo o seu nome impresso no livro.